Você está aqui:Home » Personalidades » Astro do cinema e da TV

Astro do cinema e da TV

Falcão faz sucesso em todas as mídias e mostra que vale a pena ser brega
Quem viu a capa desta edição da Bella Mooca, deve ter feito a seguinte indagação: O que tem a ver o cantor nordestino Falcão com a Mooca? Tem tudo a ver. Lilyan, sua mulher e empresária, nasceu na Mooca. Os pais dela moram aqui. O casal, que tem escritório no Tatuapé, vem visitá-los com frequência e aproveita para passear pelo bairro. Por aqui, conhece o Casarão do Vinil, Drogaria Sinete, Padaria Santa Branca, Esfiha Juventus e o Temaki Station. Costuma também adquirir quinquilharias no comércio da Rua da Mooca. E mais: promete comparecer à Festa de San Gennaro deste ano (veja matéria na página 10) para saborear massas e quitutes preparados pelas “mammas”.
Falcão conheceu a Cepam no mês passado e ficou impressionado com o tamanho da famosa padaria. “Acho que é a maior da América Latina”, arriscou. Com sua indumentária característica, foi logo reconhecido pelos clientes e funcionários. Posou para fotos com todo mundo e fez questão de mostrar que, por baixo da esquisita roupa colorida, vestia a camisa do Juventus “número 7”, com o nome do atacante Cristiano Ronaldo. Brincadeira, claro, com a transferência do artilheiro português para a Juventus, da Itália, origem do famoso clube da Mooca.“ Eu sou torcedor do Juventus e também do Santos. Quero assistir a um jogo na Rua Javari. Foi lá que o Pelé fez um dos gols mais bonitos de sua vida”, comentou.

Brega no sangue
Ceará, Falcão começou sua carreira artística em 1988, quando participou de um festival em Fortaleza com a música “Canto Bregoriano”, que ficou sendo chamada de “Bregariano”, por razões óbvias. Ao mesmo tempo, alguém lhe deu a ideia de usar roupas extravagantes. Ele lembra como se fosse hoje:
“Era uma coisa em cima da figura do Waldick Soriano, que usava chapelão e terno preto. Eu nunca tinha cantado em público. Funcionou como uma máscara. Fez sucesso por causa da figura. Uma coisa inusitada. Um sujeito com mais de 1m90 de altura, óculos escuros, cantando uma música que não tinha nada a ver”, comentou, abrindo um sorriso largo. O primeiro sucesso foi  a música I’m not dog no, versão em inglês macarrônico para o clássico “Eu não sou cachorro não”. Marcondes Falcão Maia, 61 anos, formado em arquitetura pela Universidade Federal do Ceará, tem estilo brega no sangue. Conhecido também pelas letras e frases irreverentes, tem 9 discos gravados, faz shows com sua banda e stand-up pelo País. Tem muitos seguidores nas redes sociais e frequenta os principais programas de televisão. “Só no Jô Soares, fui cinco vezes”, frisou.

Galã e multimídia
Falcão brinca que está se transformando em galã de cinema. “Sou o Brad Pitt cearense”, diz gargalhando. A verdade é que em seu currículo de ator, constam os filmes “Shaolin do Sertão”, “Cine Holliúdy  1” e “Cine Holliúdy  2”, dirigidos por Halder Gomes. O primeiro foi transformado em minissérie a ser exibido pela TV Globo. Além disso, está no elenco do filme “Candidato Honesto 2”, com Leandro Hassum, agora magro;  e no filme “Chance”, comédia urbana.
Não para por aí. É protagonista e apresentador da série “Brasil Joiado”. A bordo do “Falcomóvel”, um fusquinha colorido, claro, viajou pelo sertão do Nordeste para revelar “um Brasil de um jeito que você nunca reparou”, frisou. Com 13 episódios, encontra-se em fase final de produção e será exibido pelo canal Cine Brasil TV (Sky) no ano que vem.
Na telinha, Falcão apresenta, há sete anos, o programa “Leruaite” (conversa mole), segundo ele mesmo, na TV Ceará (afiliada da TV Cultura e TV Brasil). Lá, ele canta, acompanhado de uma banda formada por deficientes visuais, entrevista e conta causos. Tudo de maneira espontânea e escrachada. Também é atração no programa “Quem não faz, toma”, da rádio 89 FM. Sua mais recente invenção foi a micronovela do Twitter, “O desgosto que sua mãe me deu”, que já tem 38 capítulos. Sempre tirando sarro de si mesmo.

Falcão por Falcão
Apresentador de TV: Silvio Santos
Celebridade: Pedro de Lara
Filme: Shaolin do Sertão
Música: I’m not dog no
Livro: O Alienista (Machado de Assis)
Mulher: Lilian (minha mulher)
Ídolo: Chico Anísio
Político: Ciro Gomes

Deixe um comentário

© 2016 Desenvolvido por Ópera Markeitng