403 Forbidden

Você está aqui:Home » Saúde » ‘Vamos sair dessa crise muito mais fortalecidos’

‘Vamos sair dessa crise muito mais fortalecidos’

“De repente, o planeta se viu enfrentando a mais importante pandemia da história por um Novo Coronavírus. Tão logo foi divulgada a primeira contaminação em solo brasileiro, em fevereiro de 2020, nos preparamos para o enfrentamento dessa crise. O primeiro caso no Hospital e Maternidade São Cristóvão ocorreu em 17 de março. Desde então passamos a trabalhar fortemente com a informação, pois acreditamos que informação é cuidado, respeito e, sobretudo, prevenção. Compartilhamos diariamente boletins com atualizações dos números de casos, como é possível acompanhar por meio do site https://covid.saocristovao.com.br/boletim.aspx.
“Criamos medidas que buscam frear a transmissão comunitária da doença, pois é sabido que o sistema de saúde, tanto público quanto privado, não suportará a demanda de pacientes, caso a curva de contaminação saia do controle. Por isso estamos atentos às recomendações da OMS e do Ministério da Saúde, no que diz respeito à manutenção do isolamento social, uso de máscaras e cuidados na higiene e assepsia das mãos, bem como o uso do álcool-gel, dentre outras medidas. Seguir essas recomendações é fundamental para o bem individual e coletivo. Estamos mantendo em regime home-office alguns grupos de colaboradores, tais como idosos, gestantes e outros tantos que possuem comorbidades que apresentam risco iminente à doença.
“O Grupo São Cristóvão Saúde, representado pelo seu Comitê de Crise, composto pela alta direção, médicos infectologistas e de outras especialidades, criou estratégias bem definidas e fundamentadas para o enfrentamento da pandemia, sendo este comitê responsável pelos disparos diários de diversas intervenções, tais como a instalação de cabines de desinfecção para os colaboradores, definição de diversos protocolos com treinamento contínuo das equipes multiprofissionais, acolhimento dos profissionais de linha de frente, inclusive com apoio psicoterapêutico, realocação do Pronto-Socorro Geral a fim de separar casos suspeitos de COVID-19 de outras enfermidades, contratação emergencial maciça de profissionais de linha de frente para atendimento da demanda projetada, dentre outras operações. Quanto aos protocolos de tratamento para a infecção pelo Novo Coronavírus, aplicamos o teste rápido de detecção da doença e levamos em conta os parâmetros clínicos, de tratamento e de cuidados específicos para cada grupo de paciente. Não economizamos ao abastecer em maior quantidade nossos estoques de materiais, medicamentos e insumos em geral.
“Seguindo o planejamento concebido, transformamos as áreas ambulatoriais em Pronto Socorro e em unidades estruturadas para atendimento a pacientes do COVID-19, com uma equipe composta por mais de 120 profissionais altamente qualificados a frente dos atendimentos da doença. Construímos mais 13 leitos de UTI, totalizando 43 leitos para adultos, sendo que alguns desses com capacidade para hemodiálise. Além disso, construímos mais 26 leitos de internação, o que nos levou à organização rápida e efetiva da logística de atendimento aos pacientes com diversas patologias entre todos os andares do hospital. E se o cenário mostrar-se ainda mais desafiador ou insuficiente, temos três hospitais parceiros para retaguarda.
“Criamos um guia com “Dúvidas mais frequentes” sobre a doença e suas manifestações e um site específico que concentra as ações realizadas na Instituição na luta contra a COVID-19. Também implantamos a Telemedicina para consultas, dúvidas e esclarecimentos sobre a doença. Estabelecemos uma rede de divulgação e propagação de notícias e medidas a serem tomadas, utilizando vídeos educativos, mensagens encorajadoras e, acima de tudo, muita humanização e acolhimento a toda a família São Cristóvão.”
“Segundo as autoridades sanitárias do país, a projeção de pico da doença ocorrerá entre o fim de maio e meados de junho, o que está muito próximo dos estudos realizados por uma consultoria especializada em saúde de grande reconhecimento no mercado, que utilizou o modelo de distribuição de Poisson, atribuindo à probabilidade adequada ao estudo de um grande número de fenômenos observáveis. Foram considerados o comportamento e os dados de outros países como base para esse estudo.”
“Nossos números têm tido aumento progressivo, assim como a doença tem avançado em todo o país, mas felizmente não acompanham os dados do Estado de São Paulo. Estamos conseguido manter sob controle os casos em tratamento, assim como o número de óbitos. Sabemos o quão valorosa é cada vida, então não economizamos esforços, recursos ou esgotamos nossa energia para ajudá-la neste momento. Solidarizo-me com as famílias que estão vivendo o momento de luto pela perda de alguém que se foi.”
“Acreditamos sinceramente que sairemos dessa crise muito mais fortalecidos como indivíduos e como sociedade. Para o Grupo São Cristóvão Saúde fica a enorme satisfação em saber que podemos nos superar como pessoas proativas, criativas, estratégicas e solidárias, mesmo em situações tão hostis e adversas como esta que estamos vivendo.”

Deixe um comentário

© 2020 Desenvolvido por Ópera Marketing