Você está aqui:Home » Esporte » Milton Neves relata passagens memoráveis pelo “Principado da Mooca”

Milton Neves relata passagens memoráveis pelo “Principado da Mooca”

milton-neves

Milton Neves é personalista. Polêmico. Multimídia. Milionário. Tem uma memória tão grande quanto à gratidão que sente pelas pessoas que contribuíram para o sucesso dele. Muita gente sabe disso. O que pouca gente sabe é que o famoso cronista esportivo adora a Mooca e tem muitos amigos aqui no bairro.  Por isso, em plena Copa do Mundo, arrumou um espaço em sua agenda para receber a equipe da revista Bella Mooca.

Durante o encontro, posou para fotos com a camisa do Juventus, presente do presidente do clube, Domingos Sanches; e até afixou no corredor de entrada na redação do Terceiro Tempo, na Avenida Paulista, uma réplica da placa da Rua Javari ao lado do seu nome. Lembrou também que fez a inauguração do Parque Sabesp “Fiori Gigliotti”, há quatro anos, a convite de seu amigo Fábio Lepique, atual secretário de gabinete do prefeito Bruno Covas.

“Foi emocionante porque eu cresci ouvindo o Fiori Gigliotti e sonhava um dia trabalhar com ele na Bandeirantes. Naquele dia, também encontrei um conterrâneo de  Muzambinho (MG), o Tião 70.
Milton Neves constatou que a Mooca é diferente de outros bairros da cidade. Por isso, em tom de brincadeira, postou em seu twitter que o “Principado da Mooca pretende se desvincular de São Paulo e do Brasil”.“A Mooca não é um bairro. Parece mais uma cidade do interior em que as pessoas se conhecem e se amam”, justificou.

Revista Bella Mooca: O Bar do Giba (Rua Visconde de Laguna, 139), você foi?
Milton Neves: Fui sim. Lá, tem muitas fotos de jogadores antigos do Juventus. Fizemos uma gravação para o “Gol, o Grande Momento do Futebol”, da TV Bandeirantes.

Milton Neves disse que entrevistou várias vezes os irmãos Brida e Brecha. Lembrou também de um lendário time do Juventus da década de 60 (Claudinei, Diógenes e Poças; Hidalgo, Clóvis, Pando e Quarentinha; Tanese, Antoninho, Gelson e Jair Francisco). Nessa época, a equipe ganhou o apelido de “Moleque Travesso” porque costumava surpreender os clubes grandes da Capital.

Revista Bella Mooca: Como nasceu a ideia de resgatar a história dos ‘boleiros’ veteranos?
Milton Neves: Em 1973, eu era setorista da Jovem Pan no Detran. Lá, entrevistei jogadores famosos que apareciam para renovar carteira ou emplacar seu carro. Conheci também o Osmar Santos e contei histórias de vários jogadores. Ele ficou impressionado com minha memória e falou lá na emissora. Daí, fui convidado para passar para o plantão esportivo – frisou.

E prossegue:
Tudo que eu tenho, direta ou indiretamente, devo aos jogadores velhos. Depois de trabalhar em rádio, descobri a televisão, a internet, publicidade, palestras, eventos…

Revista Bella Mooca: O Show do Esporte, na TV Bandeirantes, aos domingos, vai decolar?
Milton Neves: O programa vai mudar de formato e de horário (das 20 às 22 horas) e agora só vai falar de futebol. Não vai ter mais palco, nem bandas.

Revista Bella Mooca: Qual seu maior sonho?
Milton Neves: Segurança e saúde para toda a minha família.

Multimídia
Milton Neves é um fenômeno na mídia esportiva. Comanda, na TV Bandeirantes, o programa Show do Esporte aos domingos e Gol, o Grande Momento do Futebol na Band Sports; na Rádio Bandeirantes (AM), o Domingo Esportivo Bandeirantes e depois trabalha durante as transmissões de jogos de futebol. Na Band News FM, apresenta boletins diários no meio da programação. Além disso, na Internet, dirige o Portal Terceiro Tempo; tem um blog com comentários e curiosidades de futebol. Publica textos também no Twitter. No Instagram, tem cerca de 247 mil seguidores. Acabou? Não. Também publica uma página, todos os domingos, no jornal Agora São Paulo. E mais: um livro sobre a história das copas e outro com sua biografia. Também faz palestras.

Polêmicas e grandes momentos
Milton Neves colecionou polêmicas e grandes momentos em sua longa carreira na crônica esportiva de São Paulo. Alguns exemplos: entrevista com Amir Klink, na Jovem Pan, em 1984, que durou mais de seis horas sem intervalo comercial; Santos e Fluminense, no Pacaembu, em 1995, dia em que declarou todo o seu amor pela equipe santista; indicação do técnico Felipão para dirigir a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002 a partir de um telefone que recebeu do então presidente da CBF, Ricardo Teixeira; briga no ar entre Zagalo e Carlos Aberto Torres, dois tricampeões, após um jogo entre Corinthians e Flamengo; bate-boca entre Ricardinho e Marcelinho Carioca, jogadores do Corinthians, em 2001. Polêmicas com Neto, Ricardo Ceni, Datena, Silvio Luiz, Roberto Avallone…

Portal Terceiro Tempo
O Portal Terceiro Tempo (www.terceirotempo.bol.uol.com.br), criado e comandado por Milton Neves, apresenta a cobertura completa do futebol e o maior acervo de craques do País, técnicos e cronistas esportivos. Ao todo, são mais de 13 mil registros de textos e fotos. Destaque também para os canais blogs de colunistas, últimas notícias, boatos e rumores, bola cheia e bola murcha, personalidade, Livros da Semana, entre outros.

Deixe um comentário

© 2016-2018 Desenvolvido por Ópera Markeitng